você está aqui: Home  → Colunistas  →  Cantinho do Shell

 

Pipes em bash

Por Rodrigo Bernardo Pimentel

Data de Publicação: 06 de Agosto de 2007

As ferramentas de Unix surgiram com o conceito de "seja simples, faça bem o que tem a fazer, saiba conversar com outras aplicações". Bem, parte dessa última premissa é realizada com o uso de "pipes". "pipes" (utilizados com o caracter '|') conectam a saída de uma programa à entrada de outro. Ou seja, funcionam como um "tubo" ou "cano" mesmo.

Por exemplo: o comando cat joga na saída padrão o conteúdo de um arquivo. O comando cut mostra só uma parte especificada do texto que lhe é passado como entrada padrão. Assim, para conseguirmos uma lista de usuários do sistema, podemos fazer

  [rbp@muppets ~]$ cat /etc/passwd | cut -d : -f 1

O comando cat /etc/passwd jogaria na tela todas as linhas do arquivo /etc/passwd.

O comando cut -d : -f 1 divide cada linha da entrada utilizando o : (dois pontos) como separador e pega o primeiro campo (com -d : e -f 1 respectivamente). Assim, em uma linha do /etc/passwd normal, os campos seriam

  rbp:x:500:500:Rodrigo B. Pimentel:/home/rbp:/bin/bash
   1  2  3   4              5            6         7

Ou seja, o primeiro campo é o login.

Assim, o pipe usa a saída do primeiro comando para fornecer uma entrada para o segundo, e o resultado é o campo de login de cada linha do /etc/passwd.

Outro exemplo, envolvendo mais pipes (ou seja, você pode usar mais de um pipe de uma vez):

  [rbp@muppets ~]$ w | grep '^rbp ' | wc -l
  7
  [rbp@muppets ~]$

O comando w lista os usuários conectados na máquina. O comando grep '^rbp ' pega essa lista e mostra só as que começem com rbp (para não pegarmos substrings como 'rbpsdgf'). Finalmente, o comando wc -l conta essas linhas. Assim, sei que, no momento, o usuário rbp tem 7 shells abertos na máquina (dia fraco... ;) .

Esta dica foi publicada originalmente na Dicas-L em 6 de setembro de 2000

Recomende este artigo nas redes sociais

 

 

Veja a relação completa dos artigos desta coluna