você está aqui: Home  → Coluna do Cesar Brod

Acordei e era oito de março...

Por Cesar Brod

Data de Publicação: 07 de Março de 2007

Nem pensei em flores. Não pensei em nada. Homem acorda neutro mesmo. Ao contrário de mulher, que acorda conferindo no espelho se acordou perfeita o suficiente. Acordei com coceira no pentelho encravado. Pior é que ensaiei: amanhã vou acordar e festejar com minha mulher o dia dela! Talvez eu até tivesse lembrado se ela estivesse do meu lado... Mas ela acorda antes!

Ontem eu lembrei! E sabendo o risco que corria, encomendei antecipadamente as flores! Minha mulher acorda as sete. Encomendei as flores para as seis e coloquei o despertador para as cinco. Assim, eu tomaria um banho antes, faria um omelete para ela, receberia as flores e tudo seria perfeito!

Exagerei, confesso! A porra do despertador toca num volume inaudível aos machos da nossa espécie. Minha mulher atendeu a porta xingando o entregador, enquanto eu ainda dormia o sono dos inocentes.

Quando ela viu que o entregador trazia flores e que o cartão era meu, ficou toda dengosa! Quis até dar pra mim! E eu perdi a oportunidade! Perguntei se ela já tinha ligado para o meu cunhado pra saber o resultado do jogo do Grêmio! Se o filho da puta tivesse mandado uma mensagem para o meu celular antes eu não teria vivido este problema! Todo cunhado é um filho da puta! Mas falemos da minha sogra, esta santa muher!

Minha sogra pariu minha mulher, que pariu minhas filhas. Minha mãe também me pariu, obviamente. Minha mãe pariu meu irmão e minha irmã também. Meu analista diz que isto é razão suficiente para eu parar de chamar meu cunhado de filho da puta, mas eu não acho! Meu cunhado é tão filho da puta que não pode ser filho da minha sogra! Aquela santa! Na maioria das vezes (retoricamente falando)!.

Minha sogra só pode mesmo ser santa! Assumir como filho o filha da puta do meu cunhado deve requerer um certo grau de santidade. Ao menos eu acho! Minha mulher discorda: "o rapaz tem problema!"... Tem problema o caralho! Literalmente! De tanta punheta que o guri toca só pode ter problema no caralho mesmo!

Confesso! Também toquei o instrumento! Até os treze (ou dezoito, vinte e oito, não lembro bem...) punheta era o meu instrumento. Com ele homenageei Virgínia Lane, Leila Diniz, Rita Cadillac, Xuxa, Grazi Massafera, Sandy, Junior e Stephany Britto, não necessariamente nesta ordem.

Mas que dia é hoje mesmo? Abestalhados como eu nem se dão conta, mas o dia de hoje é a maior oportunidade que temos de homenagear a todas as nossa mulheres! Lindas flores para todas elas! Filhas, esposas, sócias, amigas, colegas de trabalho, namoradas, amantes, sogras! Estas mulheres que nos pariram! Que nos aturam! Mas que, pelo bem delas mesmas, parem de parir cunhados!

Sobre o autor

Cesar Brod é empresário e consultor nos temas de inovação tecnológica, tecnologias livres, dados abertos e empreendedorismo. Sua empresa, a BrodTec, faz também trabalhos tradução e produção de conteúdo em inglês e português. Além de sua coluna, Cesar também contribui com dicas para o Dicas-L e mantém um blog com aleatoriedades e ousadias literárias. Você pode entrar em contato com ele através do formulário na página da BrodTec, onde você pode saber mais sobre os projetos da empresa.

Mais sobre o Cesar Brod: [ Linkedin ] | [ Twitter ] | [ Tumblr ].


Para se manter atualizado sobre as novidades desta coluna, consulte sempre o newsfeed RSS

Para saber mais sobre RSS, leia o artigo O Padrão RSS - A luz no fim do túnel.

Recomende este artigo nas redes sociais

 

 

Veja a relação completa dos artigos de Cesar Brod