você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

Configurando o Nagios no Debian lenny (Atualizado)

Colaboração: Guilherme Rezende dos Santos

Data de Publicação: 22 de outubro de 2010

O título do tutorial se refere a configuração apenas no debian, pois quando escrevi esse tutorial na primeira vez, utilizei apenas essa distribuição. Nesta nova versão apresento como instalá-lo no debian, no ubuntu e no CentOS.

O Nagios é um serviço open source para monitoramento de diversos equipamentos em rede, como servidores GNU/Linux, Windows, switches, impressoras, etc. Ele é responsável por realizar checagem de tempos em tempos dos equipamentos monitorados, bem como alguns serviços nestes. O monitoramento é feito através de um conjunto de Plugins responsáveis por informar ao servidor do Nagios o status dos hosts e serviços monitorados. Caso ocorra algum problema em cada um dos host ou serviço o Nagios enviará informações alertando-o. Essas informações podem ser enviadas de diferentes formas (e-mail, mensagens instantâneas, SMS, etc).

Características

Algumas das principais características dessa ferramenta são:

  • Monitoramento de serviços de rede (SMTP, POP3, HTTP, NNTP, PING, etc.)
  • Monitoramento dos recursos utilizados pelos hosts na rede (carga do processador, utilização de disco e memória RAM, processos em execução, arquivos de log, etc.)
  • Design simples dos plugins, permite que os usuários criem seus próprios plugins.
  • Desenho da hierarquia dos hosts na rede, o Nagios permite detectar e distinguir se os hosts estão inoperantes ou inalcançáveis.
  • Envia notificações quando ocorre algum problema (via email, SMS, mensagens instantâneas).
  • Suporte para implementar monitoramento redundante de servidores.
  • Permite a execução de comandos via interface Web.
  • Sua interface permite a visualização do status da rede, notificações de problemas, arquivos de log, etc.

Instalação

A versão do Nagios utilizada nesse tutorial foi a 3.2.3 e do Nagios Plugins 1.4.15

Para iniciar a instalação do Nagios, baixe-o em http://www.nagios.org/download

ou você pode utilizar o wget

  wget http://heanet.dl.sourceforge.net/sourceforge/nagios/nagios-3.2.3.tar.gz

Para compilar os pacotes do Nagios e seus plugins é preciso instalar as bibliotecas, compiladores e os headers do kernel do GNU/Linux.

No debian ou ubuntu

  apt-get install build-essential linux-headers-`uname -r`

No CentOS

  yum install gcc.i386 glibc.i386 glibc-common.i386

O build-essential é o conjunto de pacotes e bibliotecas de compilação, ele instala o GCC, G++ e os demais integrantes do kit básico.

O pacote "linux-headers" inclui os headers do kernel, o conjunto de arquivos e ponteiros necessários para que o compilador seja capaz de gerar módulos adequados ao kernel em uso. Existem várias versões do pacote, uma para cada versão do kernel disponível nos repositórios (como em "linux-headers-2.6.26-1-686"); por isso, para facilitar, usamos o "linux-headers-`uname -r`" (o ` é o símbolo de crase) que faz com que o apt descubra sozinho qual versão deve instalar a partir do comando "uname -r". Com isso, a casa fica pronta para a instalação dos drivers. (Trecho retirado do tutorial Debian Lenny, parte 2, de autoria de Carlos Morimoto)

Terminada a instalação é hora de compilar o Nagios.

Criando usuário Nagios

  adduser nagios

O Nagios utiliza um usuário "nagios" do sistema para sua execução, para isso crie este usuário

  adduser nagios

Para executar comandos externos via interface web é preciso que o servidor web esteja instalado. Para instalar o Apache

No debian ou ubuntu

  apt-get install apache2

No CentOS

  yum install httpd

Durante a instalação do apache, automaticamente é criado o usuário www-data. Esse usuário, por padrão é quem executa o apache. Criaremos um grupo chamado "nagcmd" para que possam ser realizados os external commands através da interface web, posteriormente adicionaremos o usuário nagios e o www-data a este grupo.

  usermod -a -G nagcmd nagios
  usermod -a -G nagcmd www-data

O Nagios será instalado no diretório /usr/local/nagios

Extraia os arquivos do Nagios utilizando o comando

  tar -xvzf nagios-3.2.3.tar.gz

Acesse o diretório nagios-3.2.3/

  cd  nagios-3.2.3

Execute o scritp

  ./configure --with-command-group=nagcmd

Em seguida compile o Nagios e os CGIs

  make all

Instale os binários

  make install

Instale os scripts de inicialização

  make install-init

Arquivos de configuração

  make install-conf

Crie o diretório que será utilizado para a inserção de comandos externos

  make install-commandmode

Arquivo de configuração do apache

  make install-webconfig

Nesse momento o nagios já está instalado em seu computador. Não inicie o Nagios ainda, faltam algumas configurações.

Agora conheceremos a estrutura dos diretórios do Nagios

  cd /usr/local/nagios/

Você encontrará no diretório do Nagios outros seis sub-diretórios. Abaixo uma breve explicação de cada um deles

bin Binários do Nagios
etc Diretório principal do Nagios ele contém os arquivos de configuração
libexec Os plugins do Nagios
sbin CGIs
share Arquivos HTML (para interface web e documentação online)
var Utilizado para arquivos de log

Instalando os plugins para o Nagios

Baixe-os em http://www.nagios.org/download ou utilize o wget

  wget  http://mesh.dl.sourceforge.net/sourceforge/nagiosplug/nagios-plugins-1.4.15.tar.gz

Extraia os arquivos

  tar -xvzf nagios-plugins-1.4.15.tar.gz

Acesse o diretórios nagios-plugins-1.4.15

  cd nagios-plugins-1.4.15/

Compile o arquivo

  ./configure --with-nagios-user=nagios --with-nagios-group=nagios

Em seguida instale os binários

  make & make install

Os plugins serão instalados no diretório /usr/local/nagios/libexec. Agora temos o Nagios e os plugins instalados. Vamos então prosseguir com a configuração do Apache para que seja possível acessar o Nagios e executar comandos externos via web interface.

  /etc/init.d/apache2 restart

Para um maior segurança, o Nagios será configurado de forma que, cada usuário somente tenha acesso a sua web interface caso esteja previamente cadastrado. Para isso, criaremos um arquivo de configuração contendo os usuários que terão permissão de acesso a interface do Nagios. O parâmetro "-c" do comando cria um arquivo htpasswd.users e insere o usuário "nagiosadmin".

  htpasswd -c /usr/local/nagios/etc/htpasswd.users nagiosadmin

Será solicitado que seja criado uma senha para o usuário. Caso queira inserir novos usuários, retire o parâmetro -c do comando e ao final entre com o nome do novo usuário

  htpasswd  /usr/local/nagios/etc/htpasswd.users novousuario

Configurar Nagios para iniciar automaticamente durante o boot.

  ln -s /etc/init.d/nagios /etc/rcS.d/S99nagios

Em seguida, inicie o Nagios

  /etc/init.d/nagios start

Pronto! Neste momento o Nagios está rodando e monitorando a máquina local, agora acesse sua interface web.

  http://<IPADDRESS OR HOSTNAME>/nagios/

Após a validação de usuário e senha você terá acesso ao Nagios. Agora é preciso configurar o Nagios para que possam ser monitorados outros servidores da rede. Este assunto será abordado no próximo tutorial. Até lá!


SaltOS e RhinOS sob licença GPL3

Fonte: Notícias Linux

Depois de vários anos de desenvolvimento os projetos RhinOS e SaltOS liberaram sob licença GPL 3.0 o código-fonte de seus softwares. SaltOS é uma aplicação web de gestão empresarial do tipo CRM e ERP, focada nas necessidades de pequenas e médias empresas e autônomos com gestão de clientes, projetos, contabilidade, bem como agenda, correio eletrônico, etc. É totalmente compatível com GNU/Linux e Microsoft Windows, além de oferecer um framework para os desenvolvedores que desejem adaptá-lo a suas necessidades particulares ou desenvolver novas funcionalidades. RhinOS é uma ferramenta para a criação de portais web, lojas online, intranets e aplicações web em geral.


Enviando dados de um formulário HTML para o MySQL via Shell Script. (LOAD DATA INFILE)

Colaboração: Noilson Caio Teixeira de Araújo

Este mini artigo demonstra o envio dos cambos de um formulário HTML para um banco de dados (Mysql) via Shell Script. Existem outras formas de fazer este POST dos dados, inclusive utilizando outras linguagens de programação, PHP por exemplo. O nosso foco no entanto, é mostrar didaticamente a coisa louca do negócio e tal.

Post completo: http://ncaio.ithub.com.br/2010/10/08/enviando-dados-de-um-formulario-html-para-o-mysql-via-shell-script-load-data-infile/



Veja a relação completa dos artigos de Guilherme Rezende dos Santos