Apoio ao software e ao conhecimento livre

Por Rubens Queiroz de Almeida

Data de Publicação: 20 de Novembro de 2007

A idéia deste artigo teve origem no fato de que, ao palestrar sobre software livre, muitas pessoas me perguntam sobre como ganhar dinheiro com software livre. Alguns, até com alguma indignação, "denunciam" pessoas que estão ganhando dinheiro trabalhando com software livre.

Infelizmente, no Brasil, esta concepção é bastante difundida. Eu até já presenciei um projeto de financiamento pedindo recursos para computadores, orientadores, etc, e para os mantenedores de um projeto de software livre não seria necessário recurso algum, pois eles trabalhariam de graça.

Os desenvolvedores de software livre precisam sim de recursos para viver. Não apenas os desenvolvedores, mas diversos projetos importantes, que nos acostumamos a usar, precisam de recursos para se mantar. O Wikipedia, por exemplo, está fazendo uma campanha para levantamento de recursos. Até o momento (20 de novembro de 2007, 10:35). 25.561 pessoas já fizeram suas doações). Doar é muito fácil. A fundação WikiMedia, que engloba a Wikipedia e diversos outros projetos importantes, tem uma página onde instrui as pessoas sobre como fazer doações.

É muito importante que se crie a cultura de incentivar as pessoas que tão generosamente se dedicam a criar conhecimento livre. A comunidade de software livre no Brasil, tão grande e diversificada, precisa muito de apoio. Esta comunidade vai desde desenvolvedores isolados, até projetos maiores, com mais voluntários. Todos eles, independentemente, precisam de apoio.

Se você usa o BrOffice e acha a idéia válida, colabore com o projeto. O BrOffice tem uma iniciativa, chamada Amigos do BrOffice.org, por meio da qual podem ser destinados recursos financeiros ao projeto.

Eu tenho também uma dívida de gratidão muito grande com o Aurélio Marinho Jargas, que escreveu diversos softwares que uso para manter a Dicas-L. Além dos softwares, o site Aurelio.net possui uma enorme quantidade de tutoriais muito bem escritos e didáticos, para quem quiser aprender mais sobre Linux, programação shell, sed e muito mais. Se você também conhece o Aurélio e em algum momento já foi beneficiado, porque não fazer uma doação para ele?.

O meio mais fácil e seguro de fazer doações, na minha opinião, é o PayPal. Você faz o seu cadastro, e indica um cartão de crédito internacional, para o pagamento de suas compras. A vantagem com o PayPal é que você só fornece os seus dados financeiros em um local e apenas uma vez. Todas as transações são feitas pelo PayPal de maneira segura e confiável. Eu já uso há vários anos.

Eu acho que todos ganhariamos, se pessoas de valor da comunidade de software livre, pudessem se dedicar integralmente ao que já fazem nas poucas horas livres que possuem, a criação de conhecimento livre. A sociedade precisa apoiar estas pessoas, pois o ganho para todos é enorme.

Aproveite o espaço para comentários neste artigo para recomendar projetos e desenvolvedores de valor, que mereçam o apoio da comunidade.

Para encerrar, reproduzo a seguir, um texto do blog do Sérgio Amadeu, de uma proposta de projeto de lei que visa destinar recursos para projetos de software livre. É uma proposta que apoio de todo coração e que torço para que se concretize. Se você concordar com esta idéia, passe-a adiante, escreva para os deputados e senadores de sua região e nos ajude a fazer este projeto virar lei.

--

PROJETO DE LEI QUER GARANTIR RECURSOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE LIVRE
Para incentivar o desenvolvimento de software livre no Brasil propomos que o Congresso Nacional aprove o projeto de Lei abaixo. Quando estive no governo, percebi que o Fundo que concentra os recursos da Lei de Informática é majoritariamente aplicado em software proprietário. Conversando com várias pessoas da comunidade, achamos que deveríamos reivindicar que uma parte dos recursos do Fundo fosse destinado para os desenvolvimento de projetos de sofwtare livre. Hoje, vários projetos não têm incentivo algum. Vinte por cento de aproximadamente 70 milhões anuais do Fundo é um recurso indispensável para alavancar a criatividade e a inovação de milhares de desenvolvedores de código aberto e não-proprietário.
Se você quer apoiar este projeto deixe um recado aqui. Vamos aumentar nossa lista de apoiadores. Nessa semana o João Cassino e o Bimbo estarão conversando com alguns deputados para apresentar este projeto. O deputado Paulo Teixeira de São Paulo que teve uma atuação decisiva para a derrota do padrão OOXML já se dispôs a apresentar o projeto e batalhar pela sua aprovação.
Junte-se a nós. Ah! Peço que reproduzam nos blogs e listas o projeto.
Projeto de Lei, dispõe sobre o financiamento de desenvolvimento de softwares livres.
Art. 1º Vinte por cento (20%) dos recursos anualmente gastos pelo CTInfo - Fundo Setorial para Tecnologia da Informação (instrumento de criação: Lei nº 10.176, de 11.01.2001), deverão ser destinados para o desenvolvimento de softwares livres.
Art. 2º Para os efeitos desta Lei, considera-se:
I - Software: programa de computador. Sequência de instruções a serem seguidas e/ou executadas, na manipulação, redirecionamento ou modificação de um dado/informação ou acontecimento.
II - Software livre: qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído sem nenhuma restrição. A maneira usual de distribuição de software livre é anexar a este uma licença de software livre, e tornar o código fonte do programa disponível.
Art. 3º Poderão solicitar o financiamento, a qualquer tempo, combinando recursos reembolsáveis e não-reembolsáveis, empresas, universidades, institutos tecnológicos, centros de pesquisa, cooperativas e outras instituições públicas ou privadas, inclusive comunidades de desenvolvedores, através de editais lançados pelo CTInfo.
Art. 4º Os projetos de software livre deverão ser aprovados pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, por meio de um conselho composto por integrantes da comunidade de software livre, instituído por uma portaria do MCT.
Art. 5º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Art. 6° Revogam-se as disposições em contrário.
ASSINAM:
Antonio Terceiro
Carlos Cecconi
Deivi Lopes Kuhn
João Cassino
Jomar Silva
Júlio Neves
Livia Sobota
Marcelo Marques
Mário Teza
Pedro A. D. Rezende
Ricardo Bimbo
Rodolfo Avelino
Rubens Queiroz de Almeida
Sergio Amadeu da Silveira
Sérgio Rosa
Vicente Aguiar
Wagner Meira Jr.

Recomende este artigo nas redes sociais

 

 

Veja a relação completa dos artigos desta coluna